Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
16/08/22 às 13h27 - Atualizado em 13/10/22 às 13h11

Acessibilidade e conforto nos arredores de equipamentos públicos

 

Projeto Rotas Acessíveis estabelece trajetos contínuos, sinalizados e livres de obstáculos, facilitando a vida do cidadão

 

Rafael Secunho, da Agência Brasília | Edição: Renata Lu

 

Brasília, 16 de agosto de 2022 – Mais acessibilidade, conforto e caminhos mais tranquilos até os mais diferentes equipamentos públicos espalhados pelo Distrito Federal. O projeto Rotas Acessíveis, criado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), já tem mapeadas 40 intervenções para melhorias pela capital.

 

No Hospital Regional do Guará, uma rota nova de 1,74 km foi feita nos arredores da unidade| Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

No momento, por exemplo, dois locais estão sendo beneficiados: o campus do Instituto Federal de Brasília (IFB) em São Sebastião e o entorno do Hospital Regional do Guará.

 

Com um investimento de R$ 656 mil, oriundos de emendas parlamentares, o IFB de São Sebastião ganhará 2,5 km de calçadas, travessias elevadas de concreto, adequação dos estacionamentos e mais sinalização. O trajeto até as paradas de ônibus do local terá outra realidade, com a correção de problemas como a interrupção dos passeios onde há acessos de veículos e estreitamento de outras calçadas devido à colocação de postes. A obra é de responsabilidade da Novacap.

 

“Já requalificamos áreas de hospitais como o de Brazlândia, Ceilândia, Guará; arredores de centros de ensinos, a Escola de Música, entre outros. Tudo em parceria com a companhia e a Secretaria de Obras”, explica o diretor de espaços públicos e qualificação urbana da Seduh, Clecio Rezende.

 

“Uma calçada que leva até um hospital ou a uma escola conhecida na região é priorizada frente a uma onde não passam tantos pedestres. A ideia é que a pessoa desça da parada de ônibus, do metrô e tenha um caminho seguro até o ponto de destino”, complementa.

 

Mudanças no Guará

 

O Hospital Regional do Guará, na QI 6 do Guará I, é outro bom exemplo. Uma rota nova de 1,74 km foi feita nos arredores da unidade, com direito a novas calçadas e piso tátil, rampas de acessibilidade, uma travessia no mesmo nível dos passeios e a abertura de espaços no canteiro central entre as pistas. O acesso a um abrigo de ônibus a 100 metros da unidade pode ser feito sem percalços por um cadeirante.

 

O resultado agradou a quem caminha por ali ou é usuário da unidade da saúde. “Acho importante porque temos a circulação de cadeirantes, alguns ambulantes e muitos passageiros aqui. E andar por calçadas quebradas é complicado”, aponta o estudante Leandro Barros, 14. “Vinha muito aqui quando minha mãe estava internada. Ficou muito boa a reforma”, revela a aposentada Neuta Albuquerque, 64. Também executada por empresa contratada da Novacap, a reforma custou cerca de R$ 305 mil.

 

Sobre o projeto

 

No Rotas Acessíveis, o primeiro passo é a escolha do equipamento público. A partir disso, a área técnica da Seduh desenvolve o projeto da rota tomando como base os pontos de ônibus mais próximos, estabelecendo trajetos contínuos, sinalizados e livres de obstáculos. Os arredores das estações de metrô também são priorizados.

 

Rotas acessíveis já concluídas/em execução:

 

Setor de Autarquias Sul – Via S3 Sul/L2 Sul

Hospital Regional do Gama

Hospital Regional do Guará

Escola Superior do Ministério Público, na L2 Sul (Plano Piloto)

Hospital Regional de Planaltina

Hospital Regional de Ceilândia

Hospital Regional de Brazlândia

Escola de Música de Brasília, L2 Sul (Plano Piloto)

 

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação