Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/01/10 às 19h33 - Atualizado em 2/01/19 às 11h30

BRASÍLIA COMPLETA 50 ANOS

06.01.2010

A Beija-Flor de Nilópolis vai levar para a Sapucaí o enredo “Brilhante ao sol do novo mundo, Brasília do sonho à realidade, a capital da esperança”, no ano em que a capital federal completa 50 anos. A escola é a última a desfilar no dia 14 de fevereiro, às 2h25.

Acompanhe a série que mostra os enredos das escolas de samba A escola tem uma comissão de carnaval responsável pelo desfile com quatro membros: Alexandre Louzada, Fran-Sérgio, Laíla e Ubiratan Silva. Foi Louzada quem contou os detalhes do enredo escolhido para 2010. Nas palavras de Louzada, a Beija-Flor vai falar de tudo relacionado a Brasília, menos política. “Vamos mostrar a história de Brasília, sob o ponto de vista de Dom Bosco, ou a materialização de uma lenda indígena, as coincidências com uma cidade egípcia de 3500 a.C.” A política está fora do enredo porque a intenção é privilegiar a formação do povo brasiliense: a chegada das mais de 55 mil pessoas de todos os cantos do país que formaram o povo mais miscigenado e com a maior quantidade de expressões folclóricas do país. “Foi uma opção desde o início. Queremos mostrar que a política é uma consequência. A política não é fruto dos brasilienses, ela está em todo o país. Só o centro que é lá”, diz. O objetivo é mostrar um lado de Brasília que as pessoas pouco conhecem. A azul e branca vai explicar que a ida da capital federal para o interior não foi só uma decisão de Juscelino Kubitschek. O então presidente materializou uma determinação antiga. “A ideia de se levar a capital já era antiga, começou com os inconfidentes. José Bonifácio, logo após a independência, batizou de Brasília o nome da futura capital do país.

Floriano Peixoto mandou a expedição Louis Cruls, que demarcou o território que hoje se conhece do Distrito Federal. Só anos depois que o JK realizou essa determinação que já estava prevista”, conta. Diversos personagens vão ajudar a contar essa história, entre eles, Dom. Pedro, José Bonifácio, Tiradentes e Juscelino Kubitschek. Para encerrar o desfile, Louzada adianta que estão sendo convidadas diversas personalidades brasilienses, mas diz que ainda não pode garantir os nomes. A agremiação já coleciona 11 campeonatos no carnaval carioca, mas a comunidade quer mais e já sabe na ponta da língua o samba interpretado por Neguinho da Beija-Flor, há 35 anos na escola. Os também tradicionais componentes, Claudinho e Selminha Sorriso, continuam como primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira. A escola aposta no amor e participação da comunidade para conquistar seu 12º título.

Fonte: 24 horas news