Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/12/13 às 20h03 - Atualizado em 3/01/19 às 14h45

DF 140: Diretrizes para ocupação da última área urbana do DF devem estar prontas esta semana

Técnicos da Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Sedhab, devem aprontar até sexta-feira (6) as diretrizes para a ocupação da área que fica junto à rodovia DF-140, entre São Sebastião e Santa Maria. A região possui 17 mil hectares e é a última área a ser urbanizada no Distrito Federal. De acordo com o Plano de Ordenamento Territorial, Pdot, ela tem capacidade para receber até 950 mil moradores nas próximas décadas.

Para evitar que a região se desenvolva de maneira desordenada, o Governo do Distrito Federal tomou para si o planejamento da ocupação. O objetivo desse ordenamento é proporcionar à população do local qualidade de vida, seja por meio da criação de áreas verdes, seja impedindo um grande adensamento populacional.

Outra maneira de proporcionar qualidade de vida é evitar que os moradores se desloquem até outras regiões para trabalhar. Com esse objetivo, os técnicos da Sedhab estão trabalhando o conceito de centralidade, que é reunir num mesmo ponto atividades econômicas e moradia, justamente para que a pessoa trabalhe perto de onde mora. “A ideia é que nós tenhamos a dinâmica urbana em todos os períodos do dia, com atividades comerciais e culturais junto às moradias”, explica Moema Sá, diretora de Planejamento Urbano e Territorial da Sedhab. Segundo ela, na DF 140 não deve se repetir o que acontece em áreas como Setor Comercial Sul, que durante a noite e fins de semana ficam desertas.

A partir do momento em que forem aprovadas as diretrizes, a Sedhab começa a analisar 48 projetos de empreendimentos para a região. O que não estiver de acordo com o planejamento, terá que ser alterado.

O consultor Luiz André Reis projetou quatro empreendimentos para região. Ele, que participou de reuniões com os técnicos da Secretaria de Habitação, gostou do que está sendo pensado para a DF 140. “É o retorno do planejamento urbano ao DF, permitindo o desenvolvimento da região dentro de regras estabelecidas. Traz segurança para o investidor, governo e todos os setores envolvidos”, comentou Luiz André, lembrando que se todos os envolvidos no projeto, inclusive empresários, cumprirem as diretrizes, a DF 140 será um lugar melhor até mesmo que o Plano Piloto para se morar.