Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
2/10/13 às 20h53 - Atualizado em 3/01/19 às 14h41

DF-140: plano de ocupação deverá estar pronto em 90 dias

COMPARTILHAR

O plano que estabelece diretrizes para a ocupação da área que fica às margens da rodovia DF-140, na região sul/sudeste do Distrito Federal, deverá estar consolidado em 90 dias. A informação foi dada pelo secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela. Nesta quarta-feira, 2, o projeto foi apresentado em um seminário promovido por empresários da construção civil, realizado justamente para discutir como será a urbanização do local, que é considerada a última região destinada à ocupação urbana no DF.

Na abertura do seminário, o secretário deixou claro para os empresários que o GDF, por meio da Sedhab, quer retomar para si o papel de planejador da ocupação territorial, pensando no futuro e abrindo diálogo com a construção civil. De acordo com o secretário, o poder público tem a maior responsabilidade, que é exatamente a de dizer quais são as diretrizes e qual é o cronograma da ocupação das margens da DF – 140. “Nós estamos fazendo um conjunto de diretrizes para serem aplicadas desde agora , mas que servirão para as próximas cinco décadas. Então, é um papel de pensar uma região, um setor do DF que na verdade vai se transformar numa nova cidade”, frisou Magela.

A região possui 17 mil hectares e quase 100% dos terrenos são propriedade particular. Pelo Plano de Ordenamento Territorial e Urbano, Pdot, a população do local não deve passar de 950 mil habitantes. Com esse parâmetro, o desafio dos técnicos da Sedhab que elaboraram o projeto foi reunir na ocupação urbana moradia, desenvolvimento econômico, atividade comercial, preservação ambiental e qualidade de vida. “Para ser benéfica, a concentração de pessoas depende da oferta de serviços na região. Na medida que você oferece esses serviços, você evita, por exemplo, o deslocamento de pessoas para outra região, contribuindo com a redução da emissão de gases poluentes”, destacou Moema de Sá, diretora de planejamento urbano da Sedhab. Segundo Moema, a intenção é coordenar a ocupação, evitando assim a forma desordenada como surgiram os condomínios.

Os empresários gostaram do projeto e principalmente da abertura que o GDF está dando ao diálogo, possibilitando que a categoria, bem como urbanistas e arquitetos, participem da discussão e apresentem sugestões para que a região em volta da DF-140 seja ocupada oferecendo qualidade de vida a seus moradores e a quem for trabalhar lá. “Nós queremos um projeto perfeito, que atenda às exigências legais, ambientais, urbanísticas e de qualidade de vida”, disse o empresário Fernando Queiróz, que falou na abertura do evento em nome da categoria.

De acordo com o secretário Geraldo Magela, o prazo de 90 dias é para que o projeto com as diretrizes esteja consolidado e possa ser aplicado, inclusive com as sugestões propostas pelos demais segmentos interessados. Geraldo Magela frisou que todas as construções que serão erguidas à beira da DF 140 precisarão seguir o plano de diretrizes elaborado pela Sedhab.

Como a área é basicamente de propriedade particular, o início da ocupação acontecerá de acordo com a vontade da iniciativa privada. Empresários presentes ao seminário informaram que aguardam justamente a validação dessas diretrizes para que possam dar início a etapas fundamentais em qualquer empreendimento imobiliário, como o Estudo de Impacto Ambiental. Eles acreditam que no final de 2014 alguns empreendimentos já devam estar sendo erguidos na região.

Leia também...