Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/02/11 às 18h08 - Atualizado em 2/01/19 às 11h33

HABITAÇÃO — Moradores da Vila Rabelo serão transferidos para local seguro

COMPARTILHAR

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, determinou esforço concentrado do GDF para garantir a segurança das 153 famílias que moram na área de alto risco da Vila Rabelo, em Sobradinho II. A orientação era que a solução fosse encontrada em acordo com os moradores. O iminente risco de acidente fez com que o governo buscasse uma ação emergencial. Em decisão conjunta, ficou definido que a primeira fase de transferência começará nesta quarta-feira (9), a partir das 8h. As 49 famílias na área considerada pela Defesa Civil a mais insegura do DF terão prioridade na transferência. Todas serão levadas para Sobradinho II, local seguro e próximo. Os objetivos são acomodar definitivamente os moradores, evitar que a chuva cause tragédia como deslizamentos e, ao mesmo tempo, alterar o mínimo possível a rotina das pessoas.

A comunidade terá à sua disposição caminhões da Novacap, para levar móveis, objetos pessoais e materiais de construção. A Defesa Civil e a Agência de Fiscalização (Agefis) anunciaram a doação de materiais de construção como madeira e telhas. Os moradores terão ainda direito ao auxílio social de R$ 408 para ajudar na obra de construção das novas casas.

Será montada na Vila Buritis uma força-tarefa da Agefis, da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedest), da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) e das Secretarias de Governo e de Ordem Pública e Social (Seops). O grupo vai esclarecer dúvidas e acelerar a emissão de documentos que garantam às famílias a posse definitiva dos terrenos. Homens da Polícia Militar farão a segurança do local desde a noite desta terça-feira (8).

O secretário de Governo, Paulo Tadeu, enfatizou que a transferência das famílias ocorre em caráter emergencial. “Tomamos essa medida em conjunto com a comunidade, em defesa da vida. No entanto, ela não faz parte da política habitacional do novo governo, porque não queremos apenas distribuir lotes. Nossa política é para acomodar as pessoas em moradias prontas, dentro do programa Minha Casa, Minha Vida”, explicou o secretário.

Paulo Tadeu tranquilizou os representantes comunitários e afirmou que a Vila Buritis possui lotes que podem ser ocupados imediatamente pelas 49 famílias em situação mais graves. As demais serão transferidas em grupos, nas próximas fases da mudança. “Boa parte das famílias beneficiadas já estão inscritas no programa de políticas habitacionais do GDF e estão aptas a receberem a documentação de posse definitiva do terreno. Essas pessoas receberão o quanto antes o título de posse. Quem não estiver apto vai ser removido também, mas em caráter provisório, até poder ter a documentação”, esclareceu.

O governo entende que não poderia se omitir, mantendo as famílias naquela situação, e tem o compromisso de garantir moradia mais digna à população. O secretário disse ainda que os órgãos fiscalizadores serão implacáveis com a ocupação desordenada e a grilagem de terras no DF. O governo vai isolar a área de risco, para evitar nova ocupação.

Agência Brasília

Leia também...