Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/05/14 às 12h29 - Atualizado em 3/01/19 às 15h15

Moradores do Paranoá resgatam a história da cidade com a reconstrução da igreja São Geraldo

Construída em 1959 para atender os operários que trabalharam na construção da Barragem do Lago Paranoá, a igreja São Geraldo, que foi demolida em 2005, devido ao estado de degradação, foi reconstruída em 120 dias e entregue à população neste sábado (10), durante o GDF Junto de Você. Para levantar o templo, a Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano (Sedhab) destinou R$ 283 mil, por meio do Fundo de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal (Fundurb).

Do prédio original da igreja, restava apenas a escadaria de concreto armado que dá acesso à entrada principal. O templo, todo em madeira ipê, ganhou telhas de zinco, com isolamento acústico e térmico, e piso de cimento queimado vermelhão, seguindo o padrão original. Na parte superior da porta de entrada foi pendurada a cruz antiga, que passou por restauração. No altar, a imagem do Padre Cícero e da Nossa Senhora de Nazaré estão completamente restauradas. A imagem de São Geraldo estará pronta até o fim do mês.

O pioneiro e morador do Paranoá, Ataíde Pereira das Neves (74), chegou à cidade em 1958. Natural de Recife, ele só veio conhecer a cidade, mas ficou para trabalhar. Seu Ataíde ajudou a construir a Barragem do Paranoá e acompanhou de perto a construção da igreja, um pedido feito por ele ao engenheiro chefe da obra. Com a igreja reconstruída e entregue à população, seu Ataíde fez um resgate emocionado da história. “Lembro de muita história gostosa. Eu tinha um sítio aqui. Deixei muita mangueira plantada. Era a coisa mais linda do mundo, sem briga, sem confusão”, contou. Foi na Paróquia que o pernambucano de nascimento batizou os seis filhos. Hoje, já viúvo, ele procura um novo amor e diz que o casamento será na igreja São Geraldo. “Quero arrumar uma companheira, aqui em Brasília, e me casar na igreja. Vou me casar, se Deus quiser”, planeja o pioneiro.

O mineiro João Gomes Pereira, 55, chegou à cidade com apenas nove anos de idade.
Ele também tem na lembrança e nos álbuns de família uma longa história com a igreja. Foi coroinha e primeiro músico das missas dominicais. Na paróquia, João do Violão, como é conhecido, também se casou e batizou três filhas. Para conseguir a reconstrução da igreja, João, durante 25 anos, arregaçou as mangas e se junto ao movimento criado em defesa do patrimônio. Só agora teve o sonho realizado. “Através deste governo foi possível reconstruir o nosso patrimônio histórico. É um sonho realizado. Eu não tinha outro sonho na minha vida que não fosse a reconstrução desta igreja. Já tem muita gente querendo casar aqui”, disse o morador do Paranoá.

Na solenidade de entrega, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, lembrou das entregas recentes das igrejas São José Operário, na Candangolândia, e São Sebastião, em Planaltina, também restauradas com recursos do Fundurb. “É um reencontro com a história e reconstituir a história da nossa cidade é muito importante”, declarou o governador.

De acordo com o subsecretário de regularização da Sedhab, Paulo Valério, que representou a secretária de Habitação do DF, Jane Diehl, na solenidade de entrega da igreja, existe uma preocupação da atual gestão de resgatar diversas igrejas históricas que trazem para as cidades do DF o sentimento de pertencimento. “É o resgate da memória individual de cada cidade. A entrega dessa igreja reforça a questão de tratar a habitação de maneira ampla, ofertando para o conjunto do DF solução habitacional completa, entendendo a história das comunidades e que a habitação ofertada tem que ter regularidade e vizinhança. Essa é também uma atividade de oferta de solução habitacional”, destacou Paulo Valério.

Saiba mais – O Fundurb tem como finalidade captar e destinar recursos para viabilizar programas e projetos voltados ao desenvolvimento urbano e institucional no DF e para a preservação do patrimônio existente na área de tombamento de Brasília.