Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/03/14 às 3h00 - Atualizado em 3/01/19 às 15h10

Mulheres são maioria no cadastro da habitação do DF

COMPARTILHAR

É cada vez mais comum encontrar mulheres batalhadoras que correm atrás de sonhos e de um futuro melhor. O cadastro da habitação do Programa Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem do Governo do Distrito Federal, em parceria com o Governo Federal, mostra bem essa realidade e aponta que as mulheres são as mais interessadas em conquistar a moradia própria.

Dados do cadastro de habitação, coordenado pela Sedhab – Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano e da Codhab – Companhia de Desenvolvimento Habitacional, indicam que dos 375.960 inscritos no programa Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem, 209.702 são mulheres, ou seja, 55,77% do cadastro.

Para o secretário de Habitação, Geraldo Magela, o fato demonstra a preocupação da mulher com o futuro da família. “Geralmente são as mulheres que têm o sonho de conquistar a moradia própria para a família, garantindo o futuro dos filhos. E elas correm atrás. Muitas delas sem o apoio de um companheiro”, acredita o secretário.

Este é o caso de Ednea dos Santos Xavier, cadastrada no Programa Minha Casa, Minha Vida/Morar. Solteira e mãe de cinco filhos, dois já falecidos, ela sonha com a moradia própria há 14 anos. Ainda no aluguel, ela paga R$ 400 reais por mês para morar em Sobradinho.

Dona Ednea pertence à faixa um do programa, com renda mensal de zero a R$ 1,6 mil. Mulheres com esta renda representam 46,56% do total de inscritos no cadastro. Sozinha, ela sustenta os filhos, fazendo faxina ou capinando lotes. “Está difícil. Estou doente e não posso fazer esforço. Se não trabalho, não ganho. Estou sem poder pagar o aluguel”, conta.

A realidade de Ednea deve mudar em breve. Ela poderá ser contemplada com um apartamento no Paranoá Parque – empreendimento para famílias faixa um do programa. “Estou muito esperançosa. São muitos anos de luta. Será uma conquista. Vai ajudar bastante porque não vou precisar pagar aluguel”, declarou Ednea que terá o apartamento no nome dos filhos. “Quero que eles fiquem seguros”, disse.

A previsão é que a primeira quadra do Paranoá Parque, com 928 unidades, seja entregue em fevereiro do ano que vem. Para isso, a Sedhab e a Codhab trabalham para acelerar a entrega dessas unidades.