Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
21/02/14 às 19h11 - Atualizado em 3/01/19 às 15h12

Parque do Riacho: GDF entrega os primeiros apartamentos

COMPARTILHAR

O governador Agnelo Queiroz e o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela, entregaram nesta sexta-feira, 21, os primeiros 114 apartamentos do Residencial Parque do Riacho, um dos principais empreendimentos do Programa Minha Casa, Minha Vida / Morar Bem. Outros 170 moradores receberam as escrituras dos apartamentos registradas em cartório.

Cerca de 5,9 mil famílias vão morar no Parque do Riacho quando todos os 369 prédios do empreendimento estiverem prontos, o que, de acordo com a construtora JC Gontijo, ocorrerá em 2015. Os prédios têm quatro andares e 16 apartamentos de 2 e 3 quartos. Os de 2 quartos medem 46 m² e custam cerca de R$ 75 mil. Os de 3 quartos custam R$ 85 mil e medem 58 m².

O secretário Geraldo Magela destacou a qualidade dos apartamentos e os preços das prestações, que na média vão ficar em torno de R$ 400. “Mas tem gente que vai pagar R$ 70 de prestação. Isso é muito abaixo do mercado. Não são apartamentos de luxo, mas são moradias dignas, com escritura definitiva”, frisou Magela. A maior prestação no Parque do Riacho será de R$ 870, conforme informações do Banco do Brasil, um dos agentes financeiros do Minha Casa, Minha Vida / Morar Bem.

Um dos moradores a receber a chaves do apartamento foi Damião Alves de Azevedo. Ele está em Brasília desde 1970, mas só agora, com as condições oferecidas pelo Minha Casa, Minha Vida / Morar Bem, conseguiu adquirir a casa própria, onde vai viver coma esposa, Josefa. “Às vezes eu perdia a esperança, mas hoje chegou minha vez e agradeço por isso”, comemorou Damião. Ele está na faixa de renda de pessoas que ganham entre R$ 1,6 mil e R% 3,2 mil. Quem pertence a esta faixa não poderá comprometer 30% da renda mensal da família para pagar a moradia.

No discurso que fez durante a solenidade de entrega das chaves, o governador Agnelo Queiroz lembrou que em 2011, quando assumiu o governo, o Distrito Federal sequer estava inscrito no Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. “Diziam que aqui os terrenos eram caros demais e que não seria possível fazer moradia popular. Hoje, o DF é a unidade da Federação que mais constrói casas populares”, garantiu Agnelo. “É a concretização do projeto de termos 100 mil unidades residenciais no DF”, disse Geraldo Magela, referindo-se ao Parque do Riacho.

O objetivo do Minha Casa, Minha Vida/Morar Bem é deixar o déficit habitacional no Distrito Federal próximo do zero. Para isso, além das unidades que estão sendo construídas em várias partes do DF (Riacho Fundo, Paranoá, Samambaia, Santa Maria e São Sebastião), outras já estão ou serão contratadas até o fim do ano. A meta é construir até 100 mil moradias.

Leia também...