Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/11/12 às 20h09 - Atualizado em 3/01/19 às 10h00

PPCUB -Secretário Magela participa de audiência pública na Câmara Legislativa

COMPARTILHAR

O Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB) foi tema da audiência pública realizada nesta quarta-feira, 7 de novembro, pela Câmara Legislativa do Distrito Federal.

“O GDF deu entrada no projeto de lei no dia 24 de outubro em regime de urgência. Por se tratar de um tema importante e de cuidado com a área tombada, queremos ouvir a população”, disse o deputado distrital Wasny de Roure, que deu início à audiência.

De iniciativa do presidente da Comissão de Assuntos Fundiários (CAF), Cláudio Abrantes, que conduziu o encontro, ele lembrou que esta é a segunda audiência pública sobre o PPCUB e que a Câmara Legislativa está aberta para esclarecer e fornecer todas as informações necessárias à comunidade.

O superintendente do Iphan/DF, Marco Antônio Galvão, destacou que espera que “o projeto aprovado honre o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, respeitando a preservação e o verde, não levando em conta a questão imobiliária”.

Para o presidente do CREA/DF, Flávio Côrrea, é “preciso que o plano acompanhe o progresso e ao mesmo tempo respeite o plano original proposto para Brasília, preservando o tombamento, o meio qualidade, a qualidade de vida da população, de forma que a capital seja um exemplo para o mundo e que possa crescer com dignidade”.

Ocupação da orla do Lago; grades nas casas das 700 Sul; pousadas na W3; permanência dos chacareiros na Vila Planalto; puxadinhos; cercamento e cobertura das casas do Cruzeiro; aumento de gabarito dos hotéis; revitalização da W3 foram os principais assuntos destacados pela população.

Presente na audiência, o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela, lembrou que todos este assuntos foram tema de outras quatro audiências públicas realizadas pela Sedhab.

“Este é o projeto que mais foi debatido. Foram mais de cem reuniões e mais de três mil contribuições. Só no Cruzeiro, foram cerca de 10 reuniões com a comunidade para chegarmos a um consenso dentro do que é possível na lei. Mas nem tudo, podemos atender. Por isso que se trata de uma lei. Ainda há espaço para solucionarmos alguns problemas. Em relação aos chacareiros, se o Iphan e o Ministério Público decidirem que podem permanecer, então vão ficar onde estão. Do ponto de vista urbanístico, podemos encontrar soluções. O que queremos é preservar o título de patrimônio cultural da humanidade. Estamos todos dedicados neste projeto”, concluiu Magela.

Estiveram presentes à audiência os deputados distritais: Agaciel Maia; Welington Luis; Claudio Abrantes; Olair Francisco; Arlete Sampaio e Dr. Michel, além do secretário Raad Massouh.

Leia também...