Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/06/13 às 17h33 - Atualizado em 3/01/19 às 11h53

Produção — programa lançado por Dilma pode beneficiar indústria de móveis no DF

O Secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela, anunciou nesta quarta-feira (12) que nos próximos dias vai se reunir com representantes do Sindicato da Indústria Moveleira do Distrito Federal. Segundo Magela, o GDF e os fabricantes vão entrar em acordo para que sejam produzidos móveis que atendam às características das casas e apartamentos construídos pelos programas Minha Casa, Minha Vida e Morar Bem.

A intenção é atender as pessoas que estão adquirindo a casa própria pelos Programas habitacionais do Governo Federal e do GDF, respectivamente,  e que agora terão acesso ao crediário facilitado por outro programa, o Minha Casa Melhor, lançado também nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto pela Presidenta Dilma Rousseff. O programa vai oferecer uma linha de crédito de R$ 17 milhões de reais para a compra de móveis e eletrodomésticos.

O acesso ao crediário será feito com cartão magnético do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. Qualquer pessoa que faça parte do Minha Casa, Minha Vida, e, no DF, do Morar Bem, poderá obter financiamento de até R$ 5 mil para equipar a casa, pagando juros de 5% ao ano. Com as condições facilitadas, será possível adquirir guarda-roupa, cama, geladeira, máquina de lavar e fogão, entre outros, e pagar em até 48 meses. Quem quiser pagar a vista terá 5% de desconto na nota fiscal.

Na solenidade de lançamento, a Presidenta Dilma Rousseff considerou que o “centro do programa Minha Casa Melhor é a dignidade”, já que, na opinião dela, o direito à casa própria é o direito de cada pessoa à dignidade.  O Secretário Geraldo Magela concorda. “O Programa Minha Casa Melhor,  além de trazer dignidade à moradia, dará condições para que as pessoas que participam do Minha Casa, Minha Vida e do Morar Bem  possam aparelhar suas casas com custo baixo e com o material de boa qualidade que a indústria irá oferecer”, comentou o Secretário.

Segundo representantes do Instituto para o Desenvolvimento do Varejo, presentes ao lançamento do programa, 50% das pessoas pertencentes às classes C e D ainda não possuem máquina de lavar, e precisam lavar a roupa no tanque quando chegam a casa à noite, após um dia inteiro de trabalho.