Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/11 às 3h00 - Atualizado em 2/01/19 às 11h33

VILA RABELO — Famílias deixam área de risco

COMPARTILHAR

Começou hoje (09/02) a transferência das 49 famílias que deixarão a área de alto risco na Vila Rabelo II para Vila Buritizinho, em Sobradinho II. O cronograma de mudança prevê que até sexta-feira (11/02) todas as famílias já estejam no novo endereço. O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, determinou esforço concentrado do GDF para garantir a segurança das 153 famílias que moram na área de alto risco da Vila Rabelo, em Sobradinho II. A orientação era que a solução fosse encontrada em acordo com os moradores, o que ocorreu na última terça-feira (08/02). Segundo a Defesa Civil, a Vila Rabelo II é a região onde há a maior chance de ocorrer uma tragédia causada pela chuva em todo o DF.

As primeiras famílias já começaram a se mudar. Além dos moradores, seis funcionários da Agência de Fiscalização (Agefis) ajudarão na montagem das novas casas. O GDF ofereceu também o auxílio social de R$ 408 para a obra de construção das novas casas e caminhões da Novacap para levar materiais de construção, móveis e outros pertences. Também fazem parte da força-tarefa de transferência da comunidade Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedest), da Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) e das Secretarias de Governo e de Ordem Pública e Social (Seops).

“O governo vai assegurar um local com todas as condições para essas pessoas”, afirmou o governador Agnelo Queiroz. Ele enfatizou que a área de risco não será ocupada novamente. “Não vamos permitir o retorno dessas famílias para o mesmo local. Para isto, vamos manter tudo sob a guarda das polícias”, explicou. “Essas pessoas estão em risco, principalmente agora quando o perigo aumenta com a chuva”, lembrou o governador.

Desde a manhã desta quarta-feira, a expectativa da comunidade com a mudança era grande. Havia comemorações, sugestões, dúvidas e pedidos, mas todos concordavam que a saída da localidade era necessária.

“Finalmente a nossa vida vai mudar e nós vamos morar com segurança no que é nosso. Tem gente aqui que foi notificada pela Defesa Civil em 2002 e há quase dez anos ouve promessas do governo, que nunca foram cumpridas”, recordou a líder comunitária Sueli Santos, lembrando que o novo Governo do Distrito Federal completou hoje 40 dias.

Agência Brasília