Governo do Distrito Federal
3/06/22 às 17h13 - Atualizado em 3/06/22 às 17h13

Aprovado parcelamento do solo para mais de mil pessoas no Recanto das Emas

 

Residencial Tamanduá receberá famílias em vulnerabilidade social

 

LEANDRO CIPRIANO

 

Depois de mais de 10 anos de espera pela oportunidade de uma moradia regularizada, 1.081 pessoas serão atendidas com a criação do parcelamento do solo das quadras 7 e 8 do Residencial Tamanduá, no Recanto das Emas. O projeto urbanístico do local foi aprovado nesta sexta-feira (3) no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) pelo Decreto n° 43.397, assinado pelo governador Ibaneis Rocha.

 

São 9,07 hectares no Residencial Tamanduá, que receberá 328 unidades habitacionais

A iniciativa prevê a criação de 78 lotes para a construção de 328 unidades habitacionais de interesse social, que beneficiarão famílias em vulnerabilidade social. Ao todo, são 9,0735 hectares, o equivalente a mais de nove campos de futebol. A área pertence à Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) e o projeto de urbanismo foi desenvolvido pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab).

 

O local será destinado à realocação de moradores que ocupam a área denominada Favelinha, que fica na quadra 406 do Recanto das Emas, mas atualmente carece de infraestrutura. A região passou por um incêndio em 2019, que destruiu várias moradias.

 

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) foi responsável pela análise e aprovação do projeto. Em outubro do ano passado, a criação do parcelamento passou, de forma unânime, no Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan).

 

Na ocasião, a líder comunitária Maria de Fátima dos Santos, conhecida como Bia, lembrou as dificuldades enfrentadas pela comunidade da Favelinha e agradeceu pelo andamento do projeto. “Sei que vocês vão trabalhar muito para esse processo ser finalizado e as famílias finalmente pisarem em solo seguro”, disse Bia, que participou da reunião do Conplan de forma virtual.

 

Responsável pelo projeto de parcelamento, a Codhab ficará encarregada de dar prosseguimento ao trâmite, como providenciar o registro cartorial e fazer todo o cadastramento e habilitação das famílias que serão contempladas para morar no Residencial Tamanduá.

 

Além disso, em maio deste ano, Ibaneis Rocha assinou a ordem de serviço para iniciar as obras de infraestrutura no Residencial Tamanduá. O terreno receberá do Governo do Distrito Federal (GDF) saneamento, rede de drenagem, água, luz, pavimentação, estacionamentos, ciclovias, sinalização viária, calçadas, meios-fios e gramado.

 

Acompanhe a Seduh nas redes sociais
@SeduhDF
@SeduhDF
@SeduhDF
seduhdf.comunicacao@gmail.com