Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/04/13 às 18h29 - Atualizado em 3/01/19 às 11h45

Educação – Estudantes do Ensino Fundamental conhecem a história do arquiteto Oscar Niemeyer

COMPARTILHAR

Alunos das redes pública e particular do ensino fundamental do Distrito Federal estiveram nesta terça-feira (09/04), no Museu Nacional da República, na Esplanada dos Ministérios, para participar do projeto Brasil Abril. O projeto tem por objetivo educar os alunos por meio do turismo-cívico.

Neste ano, os estudantes conhecerão a história do arquiteto Oscar Niemeyer, falecido no dia 15 dezembro de 2012, por meio de suas obras espalhadas pelo Plano Piloto e a importância do seu trabalho como referência mundial no campo da Arquitetura.

O coordenador do Projeto Brasil Abril, Fernando Fernandes enfatizou que o projeto quer sensibilizar as autoridades e a população para o abandono do Espaço Oscar Niemeyer, localizado no Eixo Monumental. “Queremos com o projeto chamar a atenção do poder público e da sociedade para o abandono do espaço, ao mesmo tempo em que queremos que ele seja melhor utilizado”, destacou Fernando.

Padrinho do projeto, o secretário de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, Geraldo Magela participou da solenidade de abertura. “Fico feliz em ver este local cheio de estudantes para que adquiram mais conhecimento”, frisou o secretário. Ele ainda parabenizou os professores pela iniciativa de trazer as crianças para conhecer as obras de Oscar Niemeyer.

Para a professora Ana Amélia, do 5º ano da Escola Classe 401, do Recanto das Emas, muitos alunos apenas conhecem a história de Niemeyer por meio dos livros. “É muito importante à vinda deles aqui para ver as obras de Oscar Niemeyer. Eles estão vendo de perto o que aprenderam em sala de aula”, afirmou a professora.

Histórico – O projeto Brasil Abril ocorre há 14 anos no mês de abril para que as crianças comemorem o aniversário de Brasília, saibam mais sobre o descobrimento do Brasil e celebrem o dia do Índio (dia 19). Cerca de oito mil alunos participarão do projeto.

Brasília, capital dos brasileiros – Patrimônio da humanidade – Marco da arquitetura e urbanismo modernos, Brasília é detentora da maior área tombada do mundo – 112,25 km² – e foi inscrita pela UNESCO na lista de bens do Patrimônio Mundial em 7 de dezembro de 1987, sendo o único conjunto urbanístico contemporâneo a merecer essa distinção.

Buscando preservar a honraria concedida a capital federal e devido a necessidade de uma lei que assegurasse a concepção da cidade, a Sedhab elaborou o Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília – PPCUB que é o instrumento que deixará claras as regras de uso e ocupação do solo na capital federal. Isso vale para todo o conjunto urbano tombado — Plano Piloto, Candangolândia, Cruzeiro e Sudoeste/Áreas Octogonais.

O PPCUB deverá prever, regular e qualificar, por exemplo: áreas de comércio e serviços; áreas verdes, parques urbanos e habitação diversificada.

 

Leia também...